Efeitos colaterais do Viagra

Uma das medidas mais importantes para a administração correta de um medicamento é o conhecimento de seus efeitos colaterais. Com esse conhecimento, é possível buscar ajuda caso haja alguma reação indesejada.

Por isso, confira a seguir todos os detalhes sobre os efeitos secundários do Viagra, interação com outros medicamentos e as contraindicações de uso para casos específicos.

O que são os efeitos colaterais?

As reações a um medicamento específico podem ocorrer devido à interação das substâncias e à forma como o organismo responde à sua ação. Mas nem toda a reação colateral acontece como se imagina. Muitas vezes, essas reações nem ao menos são perceptíveis ou são sentidas em intensidade média. De qualquer forma, é preciso estar atento aos riscos para manter a segurança no uso.

As reações são classificadas em: muito raras, raras, ocasionais, frequentes ou muito frequentes. Os efeitos colaterais mais comuns atingem 1 em cada 10 pacientes. Ou seja, 10% dos pacientes que utilizam a medicação podem sentir esses efeitos.

Entre as reações mais comuns causadas pelo Viagra estão: vermelhidão na parte superior do corpo e dor nos membros; nesses casos, recomenda-se buscar a orientação de um médico. Então, quando esses sintomas surgem, não se referem a outra disfunção no paciente, mas refletem o uso do medicamento.

Reconheça os efeitos colaterais do Viagra

Não é comum o relato de reações adversas decorrentes do uso do Viagra. Geralmente, a droga é bem tolerada pela maioria dos pacientes. Mas há reações adversas, como ereções duradouras (que se tornam dolorosas). Quando a ereção não cessa em até seis horas, é necessária intervenção médica.

Os efeitos adversos relacionados ao Viagra variam em termos de intensidade e tempo de duração. Entretanto, os sintomas que persistirem devem ser relatados ao médico. Conheça os possíveis efeitos colaterais do medicamento:

Muito frequentes (1 em cada 10 pessoas):

  • Dores de cabeça;
  • Vermelhidão mais forte do rosto / parte superior do corpo;
  • Diarreia e disfunção no aparelho digestório;
  • Dores no corpo.

Frequentes:

  • Tonturas;
  • Problemas visuais (visão turva, maior sensibilidade à luz ou uma diminuição da acuidade visual, diplopia e sensação anormal no olho);
  • Sangramento, irritação ou dor nos olhos;
  • Influenza, bronquite, tosse, corrimento nasal, congestão nasal, inflamação dos seios nasais;
  • Anemia;
  • Sangramento nasal;
  • Hemorroidas;
  • Insônia;
  • Acúmulo de líquido;
  • Ansiedade e tensão nervosa;
  • Ganho de peso;
  • Enxaqueca;
  • Tremores;
  • Dormência;
  • Queimação e inflamação do estômago ou do intestino;
  • Distensão abdominal;
  • Azia;
  • Alopecia (perda de cabelo nos homens);
  • Dores musculares;
  • Aumento da temperatura e febre.

Ocasionais (menos de 1 em 100, mas mais de 1 em 1000 pacientes):

  • Vômitos;
  • Hipersensibilidade;
  • Hipertensão ou hipotensão arterial;
  • Infarto do miocárdio;
  • Morte súbita cardíaca;
  • Sintomas de arritmia e angina;
  • Desmaios;
  • Sangramento no nariz;
  • Sangramento dos vasos do cérebro;
  • Distúrbios circulatórios cerebrais;
  • Ereção dolorosa.

Efeitos raros e muito raros:

  • Ataque cardíaco
  • Desmaio
  • Priapismo (erecção contínua)
  • Hemorragias nasais
  • Alterações cardíacas
  • Diminuição repentina ou perda de audição
  • Aumento ou diminuição da tensão arterial

Diarreia e dores de cabeça estão entre os efeitos secundários do Viagra que podem ocorrer, mas essas reações geralmente tendem a diminuir. Os efeitos secundários podem ser tratados com analgésicos fracos que não sejam restritivos ou intrusivos.

Problemas de visão também podem ocorrer com mais frequência aos pacientes após a ingestão de Viagra. No geral, as pesquisas indicam que a alteração pode estar associada à idade mais avançada. A congestão nasal também se apresenta entre os sintomas comuns e desaparece em um curto período de tempo. Dessa forma, não requer nenhum tratamento adicional.

Interação com outros medicamentos

Os seguintes medicamentos podem aumentar ou diminuir a eliminação do Viagra, efeito conhecido como “clearance”: inibidores ou indutores do citocromo P450 3A4 e 2C9, tais como o cetoconazol, itraconazol (antifúngicos), eritromicina (antibiótico) ou cimetidina.

Além deles, os diuréticos – tipo de medicamento para induzir excreção de água pela urina – de alça e poupadores de potássio, betabloqueadores não específicos (medicamentos que controlam o ritmo do coração) e medicamentos para tratamento do HIV (saquinavir, ritonavir) que podem causar interação indesejável.

Aconselha-se que os pacientes não tomem medicamentos para hipertensão arterial pulmonar que contenham sildenafila ou façam outros tratamentos para disfunção erétil concomitantes. O uso de nitratos é contraindicado pois o Viagra pode aumentar o efeito hipotensor, de redução da pressão sanguínea.

O uso simultâneo da doxazosina (medicamento para hiperplasia) e de outros medicamentos da sua classe terapêutica (a-bloqueadores) pode levar à redução da pressão sanguínea quando o indivíduo está na posição supina (deitado com a barriga para cima) e/ou hipotensão postural sintomática (diminuição da pressão arterial ao levantar).

Contraindicações

O Viagra não deve ser ingerido por homens que apresentem quadro de doença cardiovascular e hipertensão ou por aqueles que sofrem de diabete mellitus – especialmente os pacientes que tomam medicamentos à base de nitratos, pois a substância dilata os vasos sanguíneos.